Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro 29, 2017

Painel com 28 telas é destaque de exposição em SP

A paulistana Maiana Nussbacher vai expor suas obras em São Paulo, sua cidade natalz, pela primeira vez. No dia 11 de novembro, a partir das 12 horas, o Clube Hebraica, em Pinheiros, recebe a exposição “Inquietude”, com entrada gratuita, que revelará diversas faces de seu trabalho. A curadoria da mostra é de Olivio Guedes.

A artista plástica, com formação na FAAP, atua há 18 anos profissionalmente, período em que realizou muitas experimentações. O uso de diferentes materiais, a inspiração em artistas, como Monet, Jackson Pollock e Alfredo Volpi, além de sua sensibilidade aflorada, fizeram com que Maiana criasse seu próprio estilo.

Um romance sobre cigarros, silêncios e literatura

Um homem decide parar de fumar. Como incentivo, inicia um diário de ex-fumante. Mas o cigarro, anunciado estopim do projeto literário, aparece só no fim da sétima página. Esse detalhe pode ser a primeira de muitas pistas que indicam como a proclamada narrativa do abandono do vício se revela, na verdade, um “Diário da Casa Arruinada” (Penalux), primeiro romance de Tiago Feijó (foto), vencedor de dois prêmios literários com seu livro de estreia, “Insolitudes” (contos). 

O romance será lançado dia 10, às 19 horas, no Salão de Exposição Cultural, no Centro de Guaratinguetá, interior de São Paulo, onde vive o autor. No dia 12, o lançamento será durante a Balada Literária, no B_arco Centro Cultural, em São Paulo (Rua Dr. Virgílio de Carvalho Pinto, n°426, Pinheiros).

Mauro Albertt, ou a difícil arte de matar um leão por dia

Carlos Motta
"A não ser que você esteja nas 'paradas do sucesso', a vida do músico no Brasil é uma batalha diária. Precisamos matar um leão por dia."

A afirmação é do compositor e guitarrista Mauro Albertt, um dos expoentes do jazz manouche, ou cigano, no Brasil, que exibe essa mesma garra e profissionalismo nos trabalhos que faz, tanto em palco como em estúdio.

Mauro foi um dos destaques do recém-concluído 5º Festival de Jazz Manouche de Piracicaba, evento que reuniu importantes artistas durante vários dias na cidade, considerada a capital nacional desse gênero musical, criado pelo guitarrista Django Reinhardt nos anos 30 do século passado.

Ele já gravou oito discos instrumentais e toca profissionalmente desde 1990. Mas foi a partir de 2009 que vem se dedicando à pesquisa e estudo da música e cultura ciganas. 

Festival terá apresentações gratuitas de dança contemporânea

Espaços culturais do Rio de Janeiro, como o Circo Voador e a Escola de Artes Visuais do Parque Laje, serão ocupados por espetáculos de dança contemporânea que fazem parte do Festival Panorama.

O primeiro módulo da programação vai até o dia 12 e tem apenas apresentações gratuitas ou com ingressos de até R$ 20. O festival retorna com mais dois módulos, em dezembro e janeiro.

Exposição reúne as "pipocas" de Drummond e Ziraldo

Entre 1979 e 1981, o poeta Carlos Drummond de Andrade (1902-1987) publicou, na coluna que mantinha no Caderno B do "Jornal do Brasil", frases relâmpago cheias de humor que retratavam, de forma crítica, o país na época, e às quais deu o nome de “pipocas”. Admirador e amigo do poeta, o escritor e caricaturista Ziraldo percebeu que as sátiras eram charges em potencial, faltando apenas associar desenhos às palavras.

O samba ganha um doutor

O Brasil tem mais um doutor, e ele é mesmo um craque, um bam-bam-bam, um sabe-tudo, capaz de resolver qualquer problema do ser humano, desde a mais angustiante dor de cotovelo até a mais banal tristeza do dia a dia.

O novo doutor se chama Martinho José Ferreira, mas é conhecido internacionalmente por Martinho da Vila - a vila, no caso é a também famosa Vila Isabel, berço de outros tantos bambas, como o extraordinário Noel Rosa, que, por culpa única e exclusiva da burrice nacional, não receberam o mesmo título de Martinho.

O doutor Martinho conhece tudo e mais um pouco de samba, mas sua sabedoria não se restringe ao ritmo que sintetiza o Brasil - ele é autor de 14 livros, que o fizeram ocupar uma cadeira na Academia Carioca de Letras.

O título a esse autor de músicas imortais, dado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, quem sabe, talvez estimule a concessão, país afora, de honrarias semelhantes a outros dignos batalhadores da arte e cultura nacionais - doutores, como Martinho.

A rep…

Movimento Armorial é tema de curso

No dia 9 de novembro, quinta-feira, das 19h30 às 22 horas a Fundação Ema Klabin promove o programa Tramas Culturais, com o tema “Movimento Armorial: Timbre, Heráldica e Música”, orientado pelo  músico, historiador e mestre em filosofia Francisco Andrade. Com vagas limitadas, as inscrições são gratuitas e estão abertas pelo site da Casa Museu: http://emaklabin.org.br/ .

Vitoru Kinjo apresenta disco de estreia na Casa Museu Ema Klabin

O cantor, compositor e pesquisador nipo-brasileiro Vitoru Kinjo (foto)  se apresenta no dia 11, sábado, às 16h30, pelo Programa Nova Música da Casa Museu Ema Klabin.

Do repertório constam composições autorais de seu disco de estreia "Kinjo”, que mistura referências da música brasileira, de cantos ancestrais e dos universos rural e urbano.

Também aparecem no "set list" composições como "O Rouxinol", de Gilberto Gil e Jorge Mautner.

Luiz Melodia e Torquato Neto são homenageados na Balada Literária de Salvador

Sarau, rodas de conversas, performances, feira literária e shows. A mistura desses elementos forma a Balada Literária de Salvador, que ganha sua terceira edição entre os dias 3 e 5 deste mês, sexta a domingo, no Espaço Cultural da Barroquinha e Teatro Gregório de Matos. Desdobramento da Balada Literária de São Paulo, o evento baiano mantém o mesmo espírito de descontração e livre expressão das ideias, colocando a literatura em diálogo com diferentes expressões artísticas.

Um mês de blues em São Paulo

Quem gosta de blues terá um mês cheio em novembro, com a realização do projeto Mostra Blues, que reúne intervenções musicais, exposição fotográfica e exibição de filmes ligados ao universo musical do gênero, em São Paulo e outras quatro cidades do Estado, tudo gratuito.
As "Blue Blitze", com o grupo O Bardo e o Banjo (foto), que explora diferentes instrumentos no ritmo do folk e bluegrass, surgiu há cinco anos a partir da experiência de tocar nas ruas, em contato direto com o público, vai estar dias 8 em Osasco, 16 em Santo André, 22 e 23 em São Paulo, e 29 e 30 em Santos. O roteiro das blitze em São Paulo inclui a Avenida Paulista, Conjunto Nacional, Reserva Cultural e Praça Roosevelt, Shopping Frei Caneca e Mackenzie.

No Brasil, o jazz atemporal de Kenny Garrett

O saxofonista americano Kenny Garret virá, com seu quinteto, este mês para o Brasil, para fazer dois shows, em São Paulo, no Teatro Bradesco, no dia 28, e em Porto Alegre, no Teatro do Bourbon Country. 

Mais do que qualquer outro artista no jazz tradicional atual, Garrett, também compositor e arranjador, é conhecido por empolgar e embalar o público por onde passa.

Wagner Tiso e Gilson Peranzzetta celebram 70 anos em apresentação inédita

Dois grandes nomes da música brasileira, o carioca Gilson Peranzzetta e o mineiro Wagner Tiso, comemoraram juntos seus 70 anos de vida em 2016, e parte desta celebração deu origem a dois programas inéditos que o SescTV exibe no dia 5 de novembro, domingo, a partir das 21 horas.

O documentário da série "Passagem de Som" conversou com os artistas, que lembram suas trajetórias na música e aproveitam o encontro para visitar a Orquestra Sinfônica de Heliópolis e o MASP, na capital paulista. Na sequência, em show da série Instrumental Sesc Brasil, tocam em duo ou separados, clássicos da MPB e composições próprias. 

Madeleine Peiroux volta ao Brasil com seus hinos seculares

A cantora americana Madeleine Peyroux, um dos nomes mais importantes do jazz contemporâneo, está de volta ao Brasil para espetáculos em Porto Alegre e São Paulo. O seu novo álbum, "Secular Hymns", a conduz a um universo inteiramente novo, explorando composições que transcendem o habitual, numa obra acabada, viva e comovente, fundindo funk, blues e jazz. 

Um show com blues, rock, soul e batucada brasileira

Com o show musical “Sem Fronteiras” a Banda dos Curumins traz ao palco a cantora inglesa Jesuton e a suíça Alice Mondia. Músicas autorais da banda, clássicos brasileiros, canções da carreira de Alice Mondia e do recém-lançado álbum “Home”, de Jesuton, ganharam arranjos originais e exclusivos para o show, dia 4 de novembro, sábado, às 15 horas, no SESC Santo Amaro (Rua Amador Bueno, 505, Santo Amaro, São Paulo).

Brasília Photo Show bate recorde de participantes

Imagens inscritas no 3º Festival Internacional de Fotografia Brasília Photo Show (BPS) revelam que fotografia é conexão. E conectada a um novo tempo, a edição 2017/2018 do BPS recebeu 9.050 imagens de fotógrafos brasileiros e estrangeiros, 2.650 a mais do que o número de trabalhos inscritos na temporada passada. Na manhã do dia 4 de novembro, autores dos registros vencedores estarão na capital federal para receber os prêmios e participar da festa de lançamento do livro 2017/2018. A cerimônia será no Cinemark Taguatinga Shopping e contará com a Cia. de Comédia Setebelos.

Livros, livros a mancheia...

Evento tradicional no calendário acadêmico da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo, o Literatura Espalhada terá uma nova edição no dia 6 de novembro. A partir das 10 horas da manhã, alunos e comunidade voluntária do projeto distribuirão livros pelo centro expandido de São Paulo. O grupo sairá do campus da Fundação (Rua General Jardim, 522 – Vila Buarque) e caminhará até a Praça da República, entregando livros de literatura para as pessoas que se interessarem.

Um prêmio para grandes músicos pouco conhecidos

Anualmente, o Prêmio Grão de Música dedica-se a buscar artistas talentosos, a maioria deles pouco conhecidos pelo grande público nacional, com o objetivo de valorizar e promover o gênero canção em todas as regiões do país. Compositores e intérpretes, de diferentes gerações, são destacados em cada edição do PGM, recebem um troféu em bronze e o registro de uma música na coletânea de canções, produzida em CD.

Mostra Curta Audiovisual resiste e realiza sua 11ª edição em Campinas

Em sua 11ª edição a Mostra Curta Audiovisual, que será realizada em Campinas, vem com o mote: renovar é resistir! Em um ano em que diversos editais não abriram, outros reduziram drasticamente o número de contemplados e muitas incertezas quebraram projetos e produtores culturais, a Mostra resiste com o apoio de parceiros e do público, apoios institucionais, contrapartida de trabalhos voluntários e financiamento coletivo - há uma campanha no Catarse aberta até o dia 6 de novembro (www.catarse.me/mostracurta). 

Violão, contrabaixo e criatividade a mil

Carlos Motta
O violonista Bina Coquet e o contrabaixista Gilberto de Syllos são dois exemplos de como a música popular brasileira é universal. Eles lançaram, este ano, discos que demonstram com exatidão a proximidade entre os ritmos nacionais e os de fora, e como a sua fusão é bem-vinda: no caso deles, a mistura tem como base o cativante jazz manouche, ou cigano, criado por Django Reinhardt nos anos 30 do século passado e que hoje tem cultores em todo o mundo e vem se desenvolvendo solidamente no Brasil.

Livro mostra um Marquês de Sade sem sadismo

Cinco textos do Marquês de Sade (1740-1814) compõem mais um lançamento da Editora Carambaia. “Novelas Trágicas” está em pré-venda com 10% de desconto. Inéditas no país, as histórias são destituídas das descrições de atos sexuais e torturas, típicas nos outros escritos do autor. Sade produziu as novelas entre 1787 e 1788, em um dos períodos em que esteve encarcerado na prisão da Bastilha. 

Ao que tudo indica, Sade escreveu essas novelas em busca de reconhecimento literário e para tentar convencer seus leitores de que não era o autor de livros obscenos que circulavam clandestinamente e sem assinatura. O projeto de narrar histórias “contidas nas regras do pudor e da decência” rendeu dezenas de novelas, das quais 11 foram publicadas  em 1799, com o título de "Crimes do Amor: Novelas Heroicas e Trágicas". Cinco desses textos compõem o volume, além do ensaio que Sade escreveu sobre a história e as características do gênero romance, prefácio ao conjunto original.

Uma exposição em branco

Integrantes da Associação dos Artistas Plásticos de Jundiaí, entidade que mantém atividade constante desde a década de 70 do século passado, estão promovendo uma interessante exposição, na Pinacoteca municipal Diógenes Duarte Paes (Rua Barão de Jundiaí, 109, Centro), em Jundiaí.