Pular para o conteúdo principal

Que país é este?


Um país que vê, sem ninguém contestar, juízes ordenarem prisões preventivas apelando para justificativas tão esdrúxulas como passagens da Bíblia ou o caos econômico do Estado do Rio, não pode ser considerado uma democracia.

E quando, nesse mesmo país, um juiz ordena a remoção de um réu de um hospital para uma prisão sem consultar nenhum médico sobre seu estado de saúde, qualquer pessoa com dois neurônios percebe que está vivendo em tempos sombrios.

Para piorar as coisas, só mesmo transmissões televisivas desse réu, uma figura pública nacionalmente conhecida, sendo levado, de maca, sob os gritos desesperados de seus familiares, para uma masmorra medieval.

O Brasil, definitivamente, nestes últimos anos, é outro.

Um outro que, a cada dia, se mostra mais selvagem, mais distante de qualquer princípio civilizatório.

Dizer que já nos transformamos num Estado fascista, policial, numa ditadura judiciária que persegue implacavelmente quem não se enquadra na bizarra definição de "homens de bem", deixou de ser uma afirmação temerária.

A sentença virou um chavão, um lugar-comum.

E quando os estereótipos se impõem, é sinal de que eles já foram absorvidos pela sociedade. 

Que os deuses - se eles existirem - nos ajudem... (Carlos Motta)

Comentários

  1. Ontem as emissoras de TV, mostraram a exaustão, muita gente na frente do Hospital , aplaudindo, o mesmo faria se fosse Serra, só o povo de lá, do Rio sabe o que está passando, mas não deixa de ser uma selvageria, ainda bem , que uma juiza foi moderada.Tenha certeza que um Sergio Cabral , viver no luxo que vivia e servidores publicos sem eceber a tres meses, aí Pezão quer dividir o salário de Outbro em tres vezes. Coloque-se no lugar dessa gente, mas se a televisão ostra é outra conversa, até pq. querem audiência e tinha gente lá para ser mostrado.Porem , ninguem pode ser preso, se não for julgado antes, no caso de Garotinho a pena seria branda, agora foi p/ hospital particylar e depois para casa. Povo bancou o idiota, indo até lá aplaudir e moro mais uma vez, chamando Imprensa para desmoralizar , esses inimigos do povo sim, mas se tem que haver etia no trato com eles, tem que haver com qq. bandido, pois isso que são.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Pátria deseducadora

Juiz de direito, guitarrista. E criador de um festival internacional de música

Carlos Motta
A vida de músico não é fácil no Brasil. Da mesma forma, não é para os fracos a tarefa de promover a música num ambiente dominado por uma indústria que odeia a qualidade. Mesmo assim há pessoas que se dedicam simultaneamente à vida artística e à extenuante missão de levar cultura ao público. 

Haja fôlego, haja coragem, haja vontade.

A situação se complica ainda mais quando essa pessoa exerce uma profissão que exige uma atenção constante, quase como um sacerdócio. 

Esse é o caso o doutor José Fernando Seifarth de Freitas, juiz da Vara da Família em Piracicaba, importante cidade do interior paulista, que também é Fernando Seifarth, violonista dos mais respeitados entre o pessoal que toca o jazz manouche, ou cigano, gênero que nasceu da genialidade do belga Django Reinhardt, lá nos anos 30 do século passado e rapidamente se espalhou pelo mundo todo. 

O juiz de direito e o músico, provando que muitas vezes querer é poder, se fundiram há alguns anos para criar um dos mais interessan…

O profeta Chico Buarque

Carlos Motta

Que Chico Buarque é um dos poucos gênios da raça, não há a menor dúvida.

Tudo o que ele fez e faz, faz bem.

Isso é fato provado e comprovado.

O que poucos sabem, porém, é que o músico, cantor, letrista, poeta, romancista, teatrólogo etc e tal tem poderes proféticos, como se fosse um Nostradamus tropical, capaz de, 30 anos atrás, prever o que seria o Brasil de hoje, o malfadado Brasil Novo nascido do assalto que a mais cruel, torpe e voraz quadrilha já empreendeu na história da humanidade.

"Vai Passar", na pegada arrebatadora de um samba-enredo, diz tudo sobre este país desafortunado.

Além de prever o seu futuro, explicitado em poucos e ótimos versos:

"Num tempo
Página infeliz da nossa história
Passagem desbotada na memória
Das nossas novas gerações
Dormia
A nossa pátria mãe tão distraída
Sem perceber que era subtraída
Em tenebrosas transações"

Quem sabe, sabe.

Chico Buarque sabe tudo e um pouco mais.

Aí estão, aos olhos de todos, as mais tenebrosas transações que possa…