Pular para o conteúdo principal

Internem o homem!


O homem endoidou de vez: na véspera da sessão da Câmara dos Deputados marcada para decidir pelo prosseguimento ou não da denúncia contra ele pelo crime de corrupção passiva, o Dr. Mesóclise exaltou o trabalho que vem realizando desde sua chegada à presidência da República. Desta vez, afirmou que o mote do seu governo é "recolocar o Brasil nos trilhos” para o seu sucessor.

O minúsculo discursou durante evento para anunciar a autorização para abertura de 11 novos cursos de medicina. “Este gesto, agora, da educação e da saúde, fazem (sic) aquilo que é também mote do nosso governo, ou seja, recolocar o Brasil nos trilhos para que, com os trilhos aprumados, quem chegar em 2019 possa dirigir a locomotiva sem nenhum acidente nessa ferrovia.”

O discurso não deixa dúvida nenhuma sobre o estado mental do orador.


O pequenino deixou o Salão Leste do Palácio do Planalto demonstrando otimismo com a votação de amanhã. À distância, disse para jornalistas que a obrigação de formar o quórum mínimo de 342 deputados para realizar a votação é da oposição e acenou positivamente quando perguntado se está confiante.

Em todos os eventos de que tem participado, o usurpador tem exaltado as ações dos 14 meses de seu governo. Hoje, repetiu o discurso positivo e falou novamente da reforma trabalhista que, segundo ele, vai “empregar as pessoas sem violar nenhum direito do trabalhador” - pausa para risos.

Também mencionou as mudanças do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) que permitirão a oferta de 100 mil vagas a juro zero.  “Na verdade é a nossa vocação, nosso trabalho visando o social."

Mais pausas para mais risos.

Comentários

  1. Viva nosso Presidente!!!! Amado,eleito pelo Povo, guardião da Constituição, das Instituições e construtor da estada de ferro que ligará:"vou ferrar ocês tudo sem dó nem piedade" a "pata que os lambeu".

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Pátria deseducadora

Juiz de direito, guitarrista. E criador de um festival internacional de música

Carlos Motta
A vida de músico não é fácil no Brasil. Da mesma forma, não é para os fracos a tarefa de promover a música num ambiente dominado por uma indústria que odeia a qualidade. Mesmo assim há pessoas que se dedicam simultaneamente à vida artística e à extenuante missão de levar cultura ao público. 

Haja fôlego, haja coragem, haja vontade.

A situação se complica ainda mais quando essa pessoa exerce uma profissão que exige uma atenção constante, quase como um sacerdócio. 

Esse é o caso o doutor José Fernando Seifarth de Freitas, juiz da Vara da Família em Piracicaba, importante cidade do interior paulista, que também é Fernando Seifarth, violonista dos mais respeitados entre o pessoal que toca o jazz manouche, ou cigano, gênero que nasceu da genialidade do belga Django Reinhardt, lá nos anos 30 do século passado e rapidamente se espalhou pelo mundo todo. 

O juiz de direito e o músico, provando que muitas vezes querer é poder, se fundiram há alguns anos para criar um dos mais interessan…

A arte popular brasileira ganha um livro

"Eu me ensinei: narrativas da criatividade popular brasileira" é ao mesmo tempo um livro de arte e um compêndio raro sobre a obra de 78 artistas autodidatas de todo o país. “Eu me ensinei sozinha”, frase cunhada por Izabel Mendes da Cunha, conhecida como Dona Izabel, representa, com clareza, a síntese da categoria que aglutina os artistas do livro. A obra será lançada no dia 7 de dezembro de 2017, às 18h30, na Livraria Martins Fontes – Avenida Paulista, 509, em São Paulo. 
Autoria e projeto editorial de Edna Matosinho de Pontes, a publicação bilíngue (português e inglês), 464 páginas, editada pela Via Impressa Edições de Arte, além de registrar a vida e obra dos artistas relacionados, traz um ensaio aprofundado sobre a questão da arte popular, de Ricardo Gomes de Lima, e texto de apresentação assinado por Fabio Magalhães. 

Com seu arsenal de conhecimento sobre essa expressão artística nacional, acumulado ao longo de 30 anos como estudiosa, colecionadora e galerista, Edna Ponte…