Pular para o conteúdo principal

Vamos estudar direitos humanos e cidadania?


Nestes tempos difíceis, em que o fascismo passeia incólume e tranquilamente pela sociedade, ameaçando o fiapo de democracia que resta neste Brasil Novo, é bem-vinda a iniciativa da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP) de ministrar um curso sobre direitos humanos e cidadania.

O curso é dirigido a profissionais do setor público e privado, estudantes, bacharéis das diferentes áreas, tais como Ciências Sociais, Direito, Economia, História, Geografia, Jornalismo, Letras, Artes, Filosofia, Comunicação, Psicologia, Educação e Serviço Social e interessados em geral

Para quem quiser mais detalhes, vai a seguir o release da escola:


Os Direitos Humanos e o desenvolvimento da cidadania

Analisar o desenvolvimento histórico do status da cidadania e do conceito de Direitos Humanos nos termos do Estado democrático de direitos é um dos principais objetivos do curso de extensão Formação em Direitos Humanos e Cidadania, da FESPSP (Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo). As aulas acontecem aos sábados, a partir do dia 13 de maio de 2017, das 9h às 13h. 

Nas aulas, o aluno é capaz de avaliar o “estado da arte” da regulação legal, dos programas e demais mecanismos institucionais de proteção aos Direitos Humanos, tanto no campo internacional, como no Brasil. “Observamos os mecanismos de valorização dos Direitos Humanos na formulação e na implementação das políticas públicas. Também enfatizamos o papel destes direitos na construção de uma sociedade justa, equitativa e democrática”, explica o Prof. Dr. Daniel de Lucca, docente e organizador do curso, que coordena dos projetos do Núcleo de Direitos Humanos (NDH) da FESPSP.

O curso é voltado a profissionais do setor público e privado, estudantes, bacharéis das diferentes áreas, tais como: Ciências Sociais, Direito, Economia, História, Geografia, Jornalismo, Letras, Artes, Filosofia, Comunicação, Psicologia, Educação e Serviço Social e interessados em geral. Alunos FESPSP possuem 40% de desconto. Ex-alunos e instituições conveniadas, 15% de desconto. Mais informações pelo telefone 3123-7800 ou 3123-7823 ou pelo e-mail extensao@fespsp.org.br. 

Serviço
Curso de Extensão: Formação em Direitos Humanos e Cidadania
Local: Campus FESPSP - Rua General Jardim, 522 - Vila Buarque, São Paulo/SP
Período: 13 de maio a 8 de julho de 2017.
Horário: Sábados, das 9h às 13h.
Carga Horária: 32 horas.
Docente: Prof. Dr. Daniel de Lucca.

Sobre Daniel de Lucca
Doutor em Ciências Sociais pela Unicamp (2016), mestre em Antropologia Social pela Universidade de São Paulo (2007), bacharel em Geografia pela Universidade de São Paulo (2009) e bacharel em Sociologia e Política pela Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (2003). Desde 2010 é professor da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESP-SP) e, entre 2012 e 2014, foi professor-visitante na Faculdade de Ciências Sociais e Políticas (FASPOL) da Universidade Nacional Timor Lorosa'e (UNTL), Sudeste Asiático, tem experiência no campo da antropologia política e geografia humana, com destaque para as temáticas da cidade, pobreza, violência, espaço público, nacionalismo e pós-colonialismo lusófono.

Visite nosso portal: www.fespsp.org.br

Sobre a FESPSP

FESPSP: 84 anos de Reconhecimento

A Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP) foi criada em 27 de abril de 1933, por iniciativa de pouco mais de uma centena de figuras eminentes da sociedade paulistana.

Orientada desde o início para o estudo da realidade brasileira e para a formação de quadros técnicos e dirigentes capazes de atuar no processo de modernização da sociedade, a FESPSP mantém o cursos de Sociologia e Política, de Biblioteconomia e Ciência da Informação, de Administração e cursos de Pós-Graduação em áreas de Ciências Sociais e afins.

O seu corpo de pesquisadores e docentes se dedica ao ensino e à pesquisa acadêmica e aplicada, reunindo à atividade de produção do conhecimento a capacidade de intervenção, gestão e planejamento, que tem sido a marca de atuação da instituição nos projetos desenvolvidos para os setores público e privado ao longo dos anos.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pátria deseducadora

Juiz de direito, guitarrista. E criador de um festival internacional de música

Carlos Motta
A vida de músico não é fácil no Brasil. Da mesma forma, não é para os fracos a tarefa de promover a música num ambiente dominado por uma indústria que odeia a qualidade. Mesmo assim há pessoas que se dedicam simultaneamente à vida artística e à extenuante missão de levar cultura ao público. 

Haja fôlego, haja coragem, haja vontade.

A situação se complica ainda mais quando essa pessoa exerce uma profissão que exige uma atenção constante, quase como um sacerdócio. 

Esse é o caso o doutor José Fernando Seifarth de Freitas, juiz da Vara da Família em Piracicaba, importante cidade do interior paulista, que também é Fernando Seifarth, violonista dos mais respeitados entre o pessoal que toca o jazz manouche, ou cigano, gênero que nasceu da genialidade do belga Django Reinhardt, lá nos anos 30 do século passado e rapidamente se espalhou pelo mundo todo. 

O juiz de direito e o músico, provando que muitas vezes querer é poder, se fundiram há alguns anos para criar um dos mais interessan…

O profeta Chico Buarque

Carlos Motta

Que Chico Buarque é um dos poucos gênios da raça, não há a menor dúvida.

Tudo o que ele fez e faz, faz bem.

Isso é fato provado e comprovado.

O que poucos sabem, porém, é que o músico, cantor, letrista, poeta, romancista, teatrólogo etc e tal tem poderes proféticos, como se fosse um Nostradamus tropical, capaz de, 30 anos atrás, prever o que seria o Brasil de hoje, o malfadado Brasil Novo nascido do assalto que a mais cruel, torpe e voraz quadrilha já empreendeu na história da humanidade.

"Vai Passar", na pegada arrebatadora de um samba-enredo, diz tudo sobre este país desafortunado.

Além de prever o seu futuro, explicitado em poucos e ótimos versos:

"Num tempo
Página infeliz da nossa história
Passagem desbotada na memória
Das nossas novas gerações
Dormia
A nossa pátria mãe tão distraída
Sem perceber que era subtraída
Em tenebrosas transações"

Quem sabe, sabe.

Chico Buarque sabe tudo e um pouco mais.

Aí estão, aos olhos de todos, as mais tenebrosas transações que possa…