quinta-feira, 9 de março de 2017

Retrato do Brasil Novo: 59 milhões de consumidores negativados


O número de pessoas físicas inadimplentes aumentou em fevereiro, avançando 0,41% na comparação com o mesmo período de 2016, de acordo com o indicador do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). Em um ano o número de consumidores que passaram a ser negativados cresceu cerca de 900 mil.. No total, 58,9 milhões de brasileiros estão nas listas de restrição ao crédito, diante de 58,0 milhões em 2016. Isso significa que, em termos percentuais, 39,25% dos brasileiros estão com o nome sujo.

Parabéns ao governo golpista!


A estimativa por faixa etária indica que é entre 30 e 39 anos a maior frequência de negativados, uma vez que em fevereiro quase metade dessa população (49,85%) estava com o nome incluído em listas de proteção ao crédito - um total de 17,0 milhões de pessoas. Vale destacar ainda que uma quantidade significativa das pessoas entre 40 e 49 anos está inadimplente (46,86%, ou 12,9 milhões, em números absolutos), bem como entre os consumidores de 25 a 39 anos (46,81%, ou 8,0 milhões).

De acordo com o indicador, a Região Norte concentra o maior número relativo de inadimplentes, já que os 5,27 milhões de negativados representam 45,25% de sua população. Em termos absolutos, o Sudeste se destaca - são 25,08 milhões de pessoas, ou 38,53% de residentes adultos na região.

A região com menor número relativo de negativados é a Sul, com 37,06%, ou 8,25 milhões de residentes adultos nesta situação. O Centro-Oeste possui o menor número absoluto de negativados: 4,75 milhões, que representam 41,58% da população com mais de 18 anos. O Nordeste possui 15,57 milhões de inadimplentes - 39,21% da população.

Um comentário:

  1. Ou seja o Brasil todo está negativado. A excessão claro,dos ladrões. Êsses não só estão positivados, como também livres, leves, soltos e mandando nessa merda.

    ResponderExcluir