Pular para o conteúdo principal

O vício da filha do governador


Ah, o mundo dos ricos e famosos!

Se bem que não é preciso nem ser muito famoso para fazer parte deste universo maravilhoso, onde tudo são flores, cores, rios de leite e mel.

A filha do governador paulista, por exemplo, aquela que ficou conhecida por ter "trabalhado" na butique que encantou o jet set brasileiro, a Daslu, o paraíso da moda que depois descobriu-se ser uma enorme fachada para negócios um tanto quanto fora da lei.

Por onde Sophia anda, um tapete vermelho (ops!) é estendido, pois afinal, ela é, como dizem nos círculos dos privilegiados, uma "influenciadora" - pelo menos é essa a definição que lhe cabe no press release que, pasmem todos, faz a incrível revelação de que Sophia é, quem poderia suspeitar, uma "chocólatra assumida"!

Para quem duvida, a íntegra da peça publicitária é a seguinte:



Sophia Alckmin revela ser chocólatra assumida

Durante evento, a influenciadora disse que vício pelo doce vem de família e que evita se privar de comer o que gosta

Nesta última terça, 28 de março, Sophia Alckmin participou de um evento da Kopenhagen, realizado na Casa Petra, para apresentar a sessão de fotos clicadas pelo renomado Bob Wolfenson para a Páscoa da tradicional marca de chocolates.

Durante o evento, que também contou com a presença de Carol Celico, Maria Rudge, Helena Lunardelli e Cris Tamer, a influenciadora assumiu que não abre mão de comer chocolate. “Eu amo chocolate, assim como o meu pai. Acho que isso vem de família, porque meu filho mais velho também adora e vive me pedindo um pedacinho. Sou fã de Nhá Benta e hoje fiquei sabendo que a Nhá Benta pequena possui apenas 90 calorias. Achei um máximo, pois agora posso comer todo dia sem culpa”, disse rindo a filha do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin.

Comentários

  1. Nha benta pequena tem só 90 calorias. Taí essa eu não sabia. Alias o que é nha benta? Tem gosto de que? Aqui em casa,chocolate é nescau com agua.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Pátria deseducadora

A arte popular brasileira ganha um livro

"Eu me ensinei: narrativas da criatividade popular brasileira" é ao mesmo tempo um livro de arte e um compêndio raro sobre a obra de 78 artistas autodidatas de todo o país. “Eu me ensinei sozinha”, frase cunhada por Izabel Mendes da Cunha, conhecida como Dona Izabel, representa, com clareza, a síntese da categoria que aglutina os artistas do livro. A obra será lançada no dia 7 de dezembro de 2017, às 18h30, na Livraria Martins Fontes – Avenida Paulista, 509, em São Paulo. 
Autoria e projeto editorial de Edna Matosinho de Pontes, a publicação bilíngue (português e inglês), 464 páginas, editada pela Via Impressa Edições de Arte, além de registrar a vida e obra dos artistas relacionados, traz um ensaio aprofundado sobre a questão da arte popular, de Ricardo Gomes de Lima, e texto de apresentação assinado por Fabio Magalhães. 

Com seu arsenal de conhecimento sobre essa expressão artística nacional, acumulado ao longo de 30 anos como estudiosa, colecionadora e galerista, Edna Ponte…

Juiz de direito, guitarrista. E criador de um festival internacional de música

Carlos Motta
A vida de músico não é fácil no Brasil. Da mesma forma, não é para os fracos a tarefa de promover a música num ambiente dominado por uma indústria que odeia a qualidade. Mesmo assim há pessoas que se dedicam simultaneamente à vida artística e à extenuante missão de levar cultura ao público. 

Haja fôlego, haja coragem, haja vontade.

A situação se complica ainda mais quando essa pessoa exerce uma profissão que exige uma atenção constante, quase como um sacerdócio. 

Esse é o caso o doutor José Fernando Seifarth de Freitas, juiz da Vara da Família em Piracicaba, importante cidade do interior paulista, que também é Fernando Seifarth, violonista dos mais respeitados entre o pessoal que toca o jazz manouche, ou cigano, gênero que nasceu da genialidade do belga Django Reinhardt, lá nos anos 30 do século passado e rapidamente se espalhou pelo mundo todo. 

O juiz de direito e o músico, provando que muitas vezes querer é poder, se fundiram há alguns anos para criar um dos mais interessan…