sexta-feira, 17 de março de 2017

"Ministro" da Saúde aponta a culpada pela obesidade infantil: a mãe trabalhadora


Depois do fiasco da fala de Temer no dia 8 de março sobre as mulheres, naturalizando a limitação da mulher ao âmbito doméstico e afirmando que a sua contribuição à economia se restringia a notar desajustes nos preços do supermercado, o ministro da Saúde não ficou atrás: no dia 16 de março, Ricardo Barros afirmou que a obesidade infantil decorre do fato de que as crianças não têm oportunidade "de aprender a descascar alimentos" com suas mães. Disse, ainda, que hoje "as mães não ficam em casa, e as crianças não têm oportunidade, como tinham antigamente, de acompanhar a mãe nas tarefas diárias de preparação dos alimentos". Assim como Temer, Barros interpreta que o cuidado com a casa e com os filhos é responsabilidade exclusivamente materna e culpa as mães que ousam trabalhar fora de casa.


Hoje, além de trabalhar fora de casa com o trabalho remunerado, as mulheres realizam o trabalho doméstico (cuidado com a casa, com os filhos ou parentes dependentes), o que se constitui como “dupla jornada”. O tempo gasto com trabalho doméstico é dividido no âmbito familiar com grande peso para o gênero, sendo que as mulheres brasileiras gastam o dobro de horas por semana que os homens com trabalho doméstico.

Mas é desejo das mulheres ter um trabalho remunerado: recente pesquisa da Organização Internacional do Trabalho (OIT) mostra que 70% das mulheres no mundo preferem que as mulheres tenham um trabalho remunerado e 66% dos homens no mundo também preferem que as mulheres tenham um trabalho remunerado. O ministro, no entanto, culpa as mulheres por essa preferência.

Ao apontar que a obesidade infantil é culpa das mães que trabalham fora, o ministro não só mostra uma incompreensão sobre o problema, como contribui para pressionar ainda mais as mulheres que se desdobram em dupla jornada e retira a responsabilidade dos homens/pais no cuidado dos filhos e da casa. (Ana Luíza Matos de Oliveira, economista/Fundação Perseu Abramo)

Um comentário:

  1. Depois daquela que o doente de câncer adquire melhor aparência....., todo mundo sabia que vinha chumbo grosso. Salve-se quem puder! Valei-nos meu São Benedito!

    ResponderExcluir