sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Fim da internet ilimitada fortalece a Globo, o cartel da comunicação - e a inflação


O fim da internet ilimitada, anunciado pelo ministro das Comunicações (sic), Gilberto Kassab, não vai afetar apenas o público em geral, que paga caro pelo serviço de banda larga, e é formado majoritariamente pela classe média que apoiou o golpe contra a presidenta Dilma Rousseff - justamente ela, que vetou o plano das operadoras de impor limites ao uso de dados...

Além desses consumidores, vamos dizer assim, do varejo, essa turma que usa a internet para lazer, que baixa músicas e filmes, que assina o Netflix, que curte vídeos no Youtube, que não sai do Whatsapp, que não vive sem frequentar as redes sociais, ou a usa como ferramenta indispensável em seu home office, há o grande consumidor, que também será prejudicado com a imposição de limites.


E quem são esses grandes consumidores da internet?

Vamos lá: bancos, comércio em geral, setor de serviços, indústria...

Hoje, por exemplo, todos os hotéis e pousadas oferecem internet "grátis" a seus hóspedes.

Todos os bancos, todas as lojas, todas as companhias aéreas, todo mundo depende da internet.

E será que, com as operadoras cobrando mais, os nossos competentes empresários não vão repassar o custo do aumento da tarifa da internet para os consumidores?

Essa é uma pergunta que nem deve ser feita...

O resultado inevitável será mais inflação, que num ambiente recessivo forma um coquetel intragável.

O governo do Dr. Mesóclise e seu bando de picaretas, com essa medida, beneficia não só as operadoras de telefonia, mas também as emissoras de televisão, principalmente a maior delas, a Globo, que nos últimos anos sofre com o avanço do Netflix e Youtube e vê a sua audiência diminuir.

E mais: impede que a internet se fortaleça como mídia capaz de se contrapor ao cartel que domina a comunicação - e a informação - no Brasil.

É uma ação, como se dizia antigamente, que mata vários coelhos com uma só cajadada. (Carlos Motta)

Um comentário:

  1. Do jeito que o governo do mesóclise arranja inimigos,é claro que não vai terminar bem. Quando menos esperar, será um coelho morto com várias cacetadas.

    ResponderExcluir