quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Brasileiro desiste de consumir

E o repertório de más notícias econômicas parece não ter fim: a intenção de consumo das famílias caiu 1,7% em janeiro, na comparação com o mesmo período do ano passado, segundo dados divulgados pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). A queda foi provocada principalmente pela piora na perspectiva de compra a prazo (-11,9%).

Também houve quedas na avaliação sobre a renda atual (-6,9%), no nível de consumo atual (-5%) e na perspectiva profissional (-0,9%). 

Na comparação com dezembro de 2016, a intenção de consumo das famílias manteve-se estável. Se por um lado, houve queda em componentes como o emprego atual (-1%) e a renda atual (1%), por outro, houve crescimento de 3,2% no momento para compra de duráveis e de 1,7% no nível de consumo atual.

E assim o Brasil Novo vai se consolidando como o pior pesadelo da história desta terra de Pindorama.

Um comentário:

  1. Receio, prezado Motta, que o Brasileiro não desistiu de consumir. Êle desistiu foi de comprar. Consumir êle vai, com ou sem dinheiro. Ora se vai.

    ResponderExcluir