quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Tempos estranhos

Tempos estranhos, estes.

É difícil entender o que leva o Judiciário e Ministério Público a fechar questão sobre a necessidade de se diferenciar dos outros cidadãos para que, como disseram alguns de seus membros, possam trabalhar.

Sempre pensei que, numa democracia, todos são iguais perante a lei.

Tempos estranhos, estes.

É difícil entender o que leva o Judiciário e o Ministério Público a chantagear o Legislativo para aprovar seja lá o que for.

Sempre pensei que, numa democracia, houvesse separação entre os Poderes.

Tempos estranhos, estes.

É difícil entender a fragilidade das instituições da república e a sua submissão a uma "opinião pública" formada pela burguesia e manipulada por um cartel midiático.

E como essas instituições temem um juiz de primeira instância.

Tempos estranhos, estes.

Parece que o Brasil, mais de 200 milhões de habitantes, uma das dez maiores economias do mundo, não passa de uma republiqueta de bananas.

Tempos estranhos, estes. 

(Carlos Motta)

Um comentário:

  1. Bota estranho nisso. Logo, logo, vai começar o bate boca: Vsa. Excl. não passa de uma bicha enrustida". "Vsa. Excl. quer aparecer". "Cala a tua boca Vsa.Excl. nojenta"."Socoro!!! Alguem me acuda." E por ai vai.

    ResponderExcluir