quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

A ceia de Natal deste ano será na base do frango assado - e olhe lá...


O governo do Brasil Novo deve ter incluído entre as suas preocupações o fato de boa parte da população, nos últimos anos, ter ingerido mais proteínas e carboidratos, tendendo, assim a engordar. Por isso, faz sentido o resultado de uma pesquisa sobre hábitos de consumo, da Boa Vista SCPC, segundo a qual 47% dos consumidores preveem que a ceia de Natal deste ano será menos farta que a do ano anterior. 

O levantamento mostrou também que esse percentual é ainda maior nas classes D/E (55%), assim como na região Norte (55%), ou seja, por coincidência ou não, de pessoas que ascenderam econômica e socialmente nos governos trabalhistas. 

Outros 42% dos consumidores declaram que a ceia de Natal deste ano terá a mesma fartura em comparação a última ceia. Somente para 11% a ceia de Natal deste ano será mais farta - no ano passado, 14% tinham essa opinião.


O levantamento revelou também que o valor médio total pretendido com todas as despesas no Natal e fim de ano não deve ultrapassar R$ 449,84, gasto 25% inferior à renda familiar de 56% dos respondentes. Fazem parte das despesas, compras de alimentos, presentes, viagens e itens de outras necessidades. Outros 37% dos respondentes afirmam que o comprometimento com a renda neste período do ano ficará entre 25% a 50% e os outros 7% superior a 50% da renda.

De 2015 para 2016, aumentou em 6 p.p. (48% para 56%) o número de consumidores que pretendem comprometer menos de 25% da renda familiar. Já entre os que pretendem comprometer de 25% a 50%, houve uma queda de 7 p.p., em comparação a 2015 (44% para 37%).

Na divisão por classe social, 78% dos consumidores das classes D/E pretendem gastar até R$ 500. O tíquete médio dos que pretendem gastar menos será de até R$ 409,75, contra R$ 608,29 entre os que gastarão mais que o ano anterior. Quanto menor o valor declarado a ser gasto, com as compras de Natal e fim de ano, maior é o percentual de consumidores que informam que este valor comprometerá menos de 25% da renda familiar mensal.

Na divisão por regiões, 54% dos consumidores na Região Sudeste pretendem comprometer menos de 25% da renda familiar com os gastos de Natal  final de ano. Por outro lado, esses gastos representarão mais de 25% da renda familiar mensal, para 58% dos consumidores das classes DE, passando para 29% na classe C e apenas 16% nas classes AB.

Um comentário:

  1. Gostaria de desejar um feliz natal a todos, em um texto mais alegre e otimista. Enquanto Lula não vem; Feliz Natal ,(um pouco triste). E que 2017 passe rápido.

    ResponderExcluir