domingo, 9 de outubro de 2016

Investimentos se derretem no Brasil Novo


O Indicador Ipea de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) apontou, em agosto, contração de 2,8% nos investimentos, na comparação com julho, na série com ajuste sazonal. Esse é o segundo recuo consecutivo do indicador mensal de investimentos, depois de crescimento expressivo verificado em junho, quando registrou alta de 8,2%. O indicador de FBCF mede o que se investiu em construção civil e na compra de bens de capital – máquinas e equipamentos que servem para produzir outros bens.


Na média do trimestre terminado em agosto ( junho, julho e agosto), os investimentos recuaram 0,4%, na comparação com a média do trimestre anterior (março, abril e maio). A queda do indicador em agosto foi resultado do mau desempenho dos dois componentes desse índice. 

Embora a produção doméstica de bens de capital, medida na Pesquisa Industrial Mensal (PIM-PF), do IBGE, tenha avançado 0,4% em agosto, o consumo aparente de máquinas e equipamentos (Came) apresentou recuo de 2,5%. O Came corresponde à produção industrial doméstica acrescida das importações e diminuída das exportações. 

Pelo lado do comércio exterior, as exportações caíram 0,7% e o volume de importações de bens de capital foi o grande destaque negativo do resultado de agosto, registrando forte queda de 14,6%.

Já o indicador de construção civil retraiu-se pelo terceiro mês consecutivo, em 3,8%, frente ao mês anterior, ainda na comparação com ajuste sazonal. No ano, essa atividade acumula perda de 5,1%.

Um comentário:

  1. O Departamento de Saude adverte: o purgante golpista causa diarréia, e enriquece os vigaristas.

    ResponderExcluir