sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Inflação em queda, recessão em alta

Carlos Motta

A inflação dá sinais de que está cedendo. 

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de setembro variou 0,08%, bem abaixo dos 0,44% de agosto, e constituiu-se no menor índice desde a taxa de 0,01% de julho de 2014. Em relação aos meses de setembro, não há registro de IPCA mais baixo desde 1998, quando ficou em -0,22%. 

Com esse resultado, o acumulado no ano situa-se em 5,51%, muito menos do que os 7,64% registrados em igual período do ano anterior. Considerando os últimos 12 meses, a taxa desceu para 8,48%, abaixo dos 8,97% relativos aos 12 meses imediatamente anteriores. Em setembro de 2015 o IPCA havia sido 0,54%. Clique aqui para acessar a publicação completa.

Boa notícia?

Nem tanto. 


Indica que a recessão vem se aprofundando.

Na verdade, a inflação, embora estivesse acima do teto da meta estabelecida pelo BC, nunca ficou fora do controle no Brasil.

A persistência de uma taxa de juros básica altíssima, ajudou bastante a derrubar os preços, mas vem sangrando os cofres do governo, que tem de economizar mais para pagar o serviço de sua dívida.

A situação da economia do Brasil Novo - vamos lembrar ainda que o desemprego continua em alta - está próxima do sinal vermelho.

Apertem os cintos, pois não temos piloto. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário