terça-feira, 2 de agosto de 2016

Recessão, desemprego, crise? Ótimo, vamos aumentar os preços!


Qualquer pessoa que tem o hábito de fazer compras frequentes em supermercados já deve ter notado que os preços dos produtos vêm subindo assustadoramente.

Alguns casos são de polícia, mesmo.

O queijo, por exemplo: a alta deve ter sido de uns 50% na média.

Bebidas, carnes, legumes, frutas... abriram a porteira.

A dúvida é se esses aumentos do varejo são justificados por reajustes que os fornecedores fizeram, e se esses fornecedores tiveram de elevar os preços por algum motivo. Ou não.

Como acho que o brasileiro só respeita a Lei de Gerson ("o importante é levar vantagem em tudo"), creio que tanto os fornecedores quanto os comerciantes estão aproveitando esse momento delicado do país para dar sua contribuição para o caos.

Não foi o presidente interino-golpista, o dr. Mesóclise, que afirmou, naquele seu linguajar peculiar dos sem noção, que a crise é "psicológica"?

Assim sendo, nada mais natural que os nossos empresários, esses patriotas que pensam apenas no bem-estar da população, ajam do jeito que estão agindo, ou seja, entrem no clima do salve-se quem puder que tomou conta do Brasil.

Todo mundo já deve ter ouvido falar da tal lei de oferta e procura.

Pelo visto a sua revogação foi mais uma medida adotada pelos cleptocratas que tomaram conta do governo central.

O país está em recessão, as empresas estão produzindo menos e o comércio, idem, porque as pessoas estão perdendo seus empregos e sua renda caiu?

Sem problema.

A solução é simples: vamos aumentar o preço de tudo! (Carlos Motta)

Nenhum comentário:

Postar um comentário