quarta-feira, 6 de julho de 2016

Quem fiscaliza o MP e o Judiciário?

Há corruptos em todo lugar: na máquina governamental, nas empresas estatais, nas empresas privadas, nos poderes Executivo, Legislativo, Judiciário, e no Ministério Público.

Quando as pessoas ficam sabendo, por exemplo, que um vereador ou um prefeito é corrupto, elas podem acionar a Justiça para puni-lo, ou então, em último caso, simplesmente impedi-lo de voltar a exercer um cargo público, não votando mais nele.

Ou seja, Legislativo e Executivo, além de controles internos para combater a corrupção, são alvos de fiscalização externa.

O Judiciário e o Ministério Público, porém, se autofiscalizam.

Não dá para o cidadão comum, vítima de uma arbitrariedade, ou que saiba de uma mutreta qualquer envolvendo um juiz ou um procurador, fazer algo além de denunciar o fato a um órgão do próprio Judiciário ou Ministério Público.

E aí...

A gente sabe muito bem como a coisa funciona, como é o tal "esprit de corps", o corporativismo, aquela história de "você me protege que eu te protejo".

Por essas e por outras é que a jovem democracia brasileira está em farrapos.

Juízes, promotores, delegados de polícia, procuradores e que tais são apenas e tão somente funcionários públicos, bem pagos, por sinal.

Não estão, ou pelo menos não deveriam estar, acima das leis, além do bem e do mal.

Mas não é isso o que ocorre, para a nossa desgraça. (Carlos Motta)

Nenhum comentário:

Postar um comentário