quinta-feira, 21 de julho de 2016

Brasileiro é quem mais teme por sua segurança em todo o mundo

Em recente pesquisa, a GfK, empresa especializada em estudos de mercado, perguntou para mais de 25 mil pessoas o quanto elas concordam e discordam da afirmação "eu estou sempre preocupado(a) com a minha segurança e proteção", considerando uma escala de 1 (um) a 7 (sete) pontos, em que "1" significa "discordo totalmente" e "7" significa "concordo totalmente". Os resultados dessa avaliação permitem que as empresas entendam os países e os segmentos de população com as maiores preocupações sobre segurança, para identificar oportunidades comerciais e criar produtos que atendam às necessidades específicas de cada mercado. 

Nada menos que 64% dos brasileiros e 54% dos turcos apontaram estar sempre preocupados com a sua segurança e proteção. Logo atrás estão os mexicanos com 48%, argentinos com 43% e russos com 42%. 

Para os países da América Latina e a Rússia, esses resultados estão associados aos altos níveis criminalidade, principalmente relacionados aos crimes violentos e homicídios registrados nesses países, ao passo que o nível de preocupação na Turquia é provavelmente resultado da percepção dos riscos de ataques terroristas. 

Em contrapartida, a Suécia, Alemanha e Holanda registraram as mais altas porcentagens de discordância da afirmação "sempre preocupado(a) com a segurança", prevalecendo, assim, a percepção de segurança pessoal nesses países. Em números, tem-se que 30% da população sueca discorda da afirmação, seguida pelos alemães e holandeses, com 22% cada uma. 

Na Suécia, são os homens que mais se sentem seguros, sendo que um terço (34%) dos homens discordaram da afirmação, em comparação com apenas um quarto (26%) das mulheres. Na Alemanha e na Holanda, esses grupos se dividem de forma mais equilibrada. 

Homens e mulheres apresentam níveis de preocupação com a segurança e proteção semelhantes — 34% das mulheres em comparação com 30% dos homens —, apenas quatro pontos porcentuais de diferença. 

Examinando os países separadamente, as maiores diferenças de gênero foram registradas na Turquia, Rússia e Espanha, o que revela 12 pontos porcentuais de diferença entre o número de mulheres que estão sempre preocupadas, em comparação com os homens.

Porém, em Hong Kong, Bélgica e Holanda, são os homens, e não as mulheres, que apresentam números ligeiramente superiores e afirmam que estão sempre preocupados com a sua segurança. Em Hong Kong, 39% dos homens concordam com a afirmação (três pontos porcentuais a mais que as mulheres), e na Bélgica, 18% dos homens (um ponto porcentual a mais que as mulheres) e na Holanda 11% dos homens (quatro pontos porcentuais a mais em relação às mulheres). (Fonte: Gfk)

Nenhum comentário:

Postar um comentário