sábado, 18 de junho de 2016

Homens de bem, homens do mal

Antes do BN (Brasil Novo) eram os homens de bem se insurgindo contra os "petralhas", esses seres desprezíveis que contaminavam toda a nação com seus hábitos corruptos, de verdadeiros criminosos.

Tudo o que de ruim existisse era culpa desses bandidos.

Tempo ruim, chuva, o preço do tomate, a Bolsa Esmola, a insolência dos pobres ao viajarem de avião, o desprezo das empregadas domésticas para com as patroas, o dólar alto, o dólar baixo, a venda explosiva de carros novos, os médicos cubanos, a falta de médicos, a mensalidade escolar, as novas universidades federais gratuitas - tudo, absolutamente tudo, se devia a esses malditos petralhas, capitaneados pelo Barba, o Nove Dedos, o Brahma, o Apedeuta, o Molusco, e o seu poste.

Como todos sabem, os petralhas foram finalmente derrotados - ao menos assim aconteceu com aquela vaca, a louca, mandada embora, sem honras, de seu palácio.

O novo presidente, um mês no cargo, sabe colocar os pronomes nos verbos.

É o dr. Mesóclise.

E ele tem uma incrível capacidade de se cercar de tantos homens de bem que nunca, em toda a história do Brasil, se viu como esses homens de bem são capazes de fazer o mal.

Não houve, até agora, uma sequer, sequer uma, proposta ou medida dos homens de bem do BN que não fosse uma maldade contra o povo, os pobres, os desassistidos, a imensa maioria da sociedade brasileira.

Pois é.

Os homens de bem se tornaram, como num passe de mágica, imediatamente, os homens do mal. (Carlos Motta)

Nenhum comentário:

Postar um comentário