quinta-feira, 16 de junho de 2016

Brasil cai em ranking de países mais influentes

Os Estados Unidos ainda são a maior potência mundial não só pelo seu poderio econômico e bélico, mas pelo que se denomina de "soft power", o poder que a cultura, diplomacia e valores sociais de um país tem para influenciar os outros.

Índice divulgado pela empresa de relações públicas britânica Portland Communications aponta os Estados Unidos como o 1º no ranking das nações mais fortes em soft poer, seguida pelo Reino Unido e Alemanha. 

O Brasil caiu uma posição e ocupa o 24º lugar.

Segundo os responsáveis pela pesquisa, o queda do Brasil se deve à governabilidade e educação, apesar da existência de “muitas ferramentas de soft power e de uma série de oportunidades para desenvolvimento” no país.

O ranking foi feito, obviamente, antes que os ratos tomassem conta do governo federal.

Com Serra de chanceler, é provável que o país nem mais figure entre os 30 mais influentes do mundo.

A lista anual publicada pela Portland Communications se baseia em índices de desenvolvimento de tecnologia da informação, cultura, ambiente de negócios, educação, governo e engajamento do país na resolução de problemas globais, bem como leva em conta pesquisas de opinião pública realizadas em todo o mundo.

A lista dos 30 países mais influentes é a seguinte:

1. Estados Unidos       77,96
2. Reino Unido           75,97
3. Alemanha              72,60
4. Canadá                  72,53
5. França                   72,14
6. Austrália                69,29
7. Japão                    67,78
8. Suíça                     67,65
9. Suécia                   66,97
10. Holanda               64,14
11. Itália                   63,79
12. Espanha               63,47
13. Dinamarca           62,57
14. Finlândia             62,13
15. Noruega               61,64
16. Nova Zelândia      61,51
17. Áustria                 60,99
18. Bélgica                59,70
19. Singapura            58,09
20. Irlanda                 57,02
21. Portugal               51,79
22. Coreia do Sul        51,44
23. Polônia                 48,07
24. Brasil                    47,69
25. Grécia                   46,98
26. Hungria                 46,96
27. Rússia                   46,58
28. China                    45,07
29. República Tcheca   44,43
30. Argentina              44,17

Nenhum comentário:

Postar um comentário