sexta-feira, 20 de maio de 2016

A "herança maldita" que tirou milhões da miséria

Saem os primeiros latidos da "nova" equipe ministerial contra a "herança maldita" deixada pela presidenta Dilma Rousseff aos salvadores da pátria.

O interino da Fazenda diz que encontrou números muito piores do que esperava.

O de Cidades cancela nova fase do Minha Casa, Minha Vida, sob a alegação de que quer conhecer a real situação do programa.

E por aí vai.

Todos sabem que há uma crise econômica no país.

O que nem todos dizem, porém, é que parte dessa crise foi fabricada pela turma que patrocinou o golpe contra a democracia.

Esse pessoal não deu um instante de sossego à presidenta Dilma em seu segundo mandato.

Ela foi sabotada de todas as formas.

A crise política, forjada pelos mesmos parlamentares e políticos responsáveis pelo golpe, foi e é muito maior que a econômica.

A crise política só se resolve quando o país voltar a ser uma democracia.

E a econômica, quando houver estabilidade política.

Os usurpadores sabem disso, o resto é cortina de fumaça para o desastre inevitável que será seu desgoverno.

Não há nenhuma herança maldita.

O país que os malditos tomaram de assalto é infinitamente melhor que aquele que eles perderam, pela vontade popular, para os trabalhistas.

Eles podem distorcer os números de todas as formas, mas não conseguirão fazer os milhões beneficiados pelas políticas sociais do período 2003 a 2016 esquecer o fato de que é possível, sim, viver fora da miséria.  (Carlos Motta)

Nenhum comentário:

Postar um comentário